quinta-feira, 31 de março de 2011

Cada poema

Cada poema é um grito
um rito, um libertar constrito
uma reza, uma oração
uma benção de uma musa
uma felicidade profusa
que brota sem razão
cada poema
é um tijolo
com o qual construo meu castelo de ilusão.

2 comentários:

fabiofan disse...

Nossa muito lindo eu diria que meus poemas são alados que me levam a onde nunca poderia ir.

fabio

pazanarquia disse...

belo