segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Corpo


Corpo

Casca, casa
carruagem que passa
fruta
que a vida masca
e não escolhe.
Roupa que encolhe
até não mais cobrir a alma.
Iguaria que o tempo come
com sádica calma.


Um comentário:

Camila Alvim disse...

maravilhoso....maravilhoso