sexta-feira, 29 de abril de 2011

Engano


 Foto: Hansel Adams

Tropeço passo
no escravo vício
este, de olhar precipício,
e achar-se falena
nua, vestida de vida colorida
achando que tudo vale a pena.
jogando-se ao ar,  inteira
pois afinal viver é voar
e não apenas ficar à beira.

2 comentários:

sandra disse...

muito bom, Ana. perfeito!

Celso Mendes disse...

Voar à beira de um precipício, precipitar-se no abismo de sensações que é a vida.

ótimo poema!

beijo.